Cabeceiras assumem o protagonismo no décor
Cabeceiras assumem o protagonismo no décor

Sem grandes intervenções ou quebra-quebras, é possível transformar o dormitório com a escolha de cabeceiras. São inúmeras possiblidades para adicionar conforto e estilo ao ambiente de descanso. Confira dicas para acertar na escolha.

A designer de interiores Tássia Pereira, do escritório TT Interiores, explica que o material é o primeiro item que deve ser levado em consideração. “Para quem deseja facilidade na limpeza, as sedas sintéticas são ótimas opções, além do couro e corino, que possuem manutenção simples e não mancham com a oleosidade dos cabelos, por exemplo”. 

A designer revela, ainda, que tecidos como veludo e suede são conhecidos pelo conforto, “mas é necessário a realização da impermeabilização”, recomenda. Além dessas opções, outros materiais e revestimentos de paredes como madeiras, boiseries e até tijolos aparentes podem ser usados para dar ainda mais estilo ao ambiente.

Para não ter restrição do espaço, a profissional diz que a cabeceira deve ser a maior possível. “As peças que passam a medida da cama e ocupam os criados-mudos dão a sensação de amplitude. Já a altura vai depender da escolha do colchão, mas o aconselhável é que ela passe pelo menos 50 cm da altura da cama”, recomenda.

Independente da escolha, a cabeceira deve ter equilíbrio harmonia com o lifestyle e demais mobiliários do restante do quarto.

Cabeceira feita de marcenaria serve de apoio para objetos de decoração. (Projeto TT Interiores/Foto Divulgação/Hermes Caldeira)

 

 

Cabeceira estofada com corino. Além da facilidade na limpeza, material é duradouro. Detalhe para o espelho ao lado que dá a sensação de amplitude ao local. (Projeto TT Interiores/Foto Divulgação/ (Renato Navarro)

 

 

 

Copyright © 2016 DA - Diário do Arquiteto. By RealWorks Propaganda - Curtir Compartilhar Siga-nos no Instagram

Scroll to Top