Funcionalidade, elegância e aconchego estão em evidência nos projetos do Studio AG
Funcionalidade, elegância e aconchego estão em evidência nos projetos do Studio AG

Formadas em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Mackenzie em 2011, Amanda Castro e Giovana Giosa atuaram em diferentes escritórios no início de suas carreiras. Em meados de 2013, com a oportunidade da construção de uma casa de 2000m², em São Paulo, unificaram suas experiências nesse novo projeto e a partir daí, abriram o escritório Studio AG Arquitetura.

 

Com características próprias, as indicações de clientes foram aparecendo por familiares e amigos, que acreditaram no trabalho da dupla. Os pedidos foram aumentando e a empresa crescendo. As jovens profissionais acreditam que a arquitetura precisa estar aliada às relações humanas para se concretizar. O uso dos espaços é que dá vida e identidade para cada projeto, por isso respeitam o estilo de vida de cada cliente. “Temos a consciência do quanto um ambiente influencia na maneira como as pessoas que estão nele vivem e convivem”.

 

Sempre atentas às tendências do mercado, oferecem projetos funcionais, aliados à elegância e aconchego. A aposta é em uma arquitetura sem excessos, ritmada e com linhas bem traçadas. A dupla procura customizar cada projeto e torná-lo único, estimulando o olhar com diferentes texturas e volumetrias, priorizando a entrada de luz e as vistas.

 

Para as arquitetas, as palavras de ordem para fazer algo bem-sucedido atualmente está no projeto inteligente, arquitetura sem ostentação, com inovação, sempre atrás da nova forma de vida das pessoas. “Nos dias atuais é preciso que a arquitetura una e conecte as pessoas, os ambientes precisam promover o convívio humano, serem convidativos”, afirmam as profissionais.

 

O principal desejo dos clientes do Apartamento CAB era transformar a sala de estar em um ambiente para ser usado no dia a dia da família. O pórtico de madeira freijó organiza a circulação e marca a entrada social. Apesar de desejar um ambiente acolhedor, com a madeira bastante presente, os moradores queriam uma decoração leve e clara. Assim, tivemos a ideia de tirar partido do branco e brincar com diferentes texturas.
A dupla projetou um painel em marcenaria branco ondulado que compõe com o mobiliário neutro. A cadeira 3 Apoios do designer John Graz da Dpot contrapõe com leveza e o tapete claro da Phenicia destaca o estar do piso de madeira. Foto Ricardo Bassetti

No apartamento CAB o painel de madeira ganhou brises pivotantes que integram e separam a sala de jantar da copa, além de levar mais iluminação natural ao ambiente, atendendo ao desejo dos clientes. A mesa com tampo de vidro já pertencia aos moradores e foi inserida no novo projeto, agora com cadeiras mais esbeltas da Allez Decor. O aparador em pedra também já existia, mas foi repaginado e recebeu gavetas de madeira para armazenar os utensílios. O pendente da Ana Neute e os quadros Casulo da Olho Móveis junto com os vasos da Nicole Toldi reforçam a ideia de brincar com texturas e variações do branco. Foto Ricardo Bassetti

A suíte principal da Casa APR traz aconchego por meio de uma arquitetura sem excessos. O painel da cabeceira que já integra os criados foi feito em marcenaria e revestido com folhas de  madeira carvalho. A cortina de linho filtra a luz enquanto a vedação total é feita por uma persiana integrada embutida. As luminárias e quadros foram adquiridas pelos moradores em uma viagem. Foto Ricardo Bassetti

 

O projeto de reforma desta residência em São Paulo consistia em uma reformulação geral dos espaços em busca de integrar e conectar os ambientes de convívio. A planta original da Casa ACK, recortada e segmentada, comprometia a amplitude desejada pelos moradores. A principal ação da arquitetura foi limpar os excessos e fazer aberturas em pontos estratégicos a fim de enquadrar a paisagem e trazer mais vida e luz natural para o interior da casa. A varanda foi ampliada e a piscina invertida para melhor aproveitamento do espaço. Para a piscina, elas  escolheram a pedra Pasinato Green Bali e o deque da Madezonia em Itaúba. O paisagismo é assinado por Marcelo Bellotto, assim como os vasos da linha Vasos da Terra. Foto Ricardo Bassetti

 

Uma das principais ações da reforma da Casa ACK foi a substituição de um pilar existente na varanda por um reforço estrutural de uma viga metálica. A solução para ocultar essa estrutura robusta foi repetir essa viga no desenho do forro. Um pergolado metálico e vidro amplia a varanda existente, para filtrar a entrada de luz optamos por usar um tecido de palha de seda da Nani Chinellato. A ilha e bancada em Ceaserstone cinza contrasta com a marcenaria em madeira Teca, que também engloba o forno de pizza. A mesa foi desenhada pelas profissionais e executada em madeira maciça para suportar possíveis chuvas de vento e as cadeiras azuis da Cremme trazem um pouco de cor ao ambiente. Foto Ricardo Bassetti

Na sala de estar da Casa ACK, destacam-se as bases neutras na decoração com alguns pontos de cor. Peças atemporais do design, como as poltronas de Sergio Rodrigues e a mesa de centro de John Graz conversam com itens contemporâneos como o pendente da Marset escolhido para a sala de jantar, que faz referência a tambores de bateria, trazendo um ar descontraído ao projeto. A luminária de piso e abajur são da Lumini e o sofá Clami, com almofadas Codex. Foto Ricardo Bassetti

Neste projeto, a demarcação de salas com divisórias foi dispensada e as arquitetas optaram por tirar partido do mobiliário para separar os diferentes ambientes. O sofá duplo cumpre essa função, um lado para a sala da lareira e outro para o estar, o banco metálico revestido de couro da Decameron dá unidade a esses ambientes. O revestimento da lareira em Viroc, painel composto constituído por uma mistura de madeira e cimento foi usado tendo em vista sua vantajosa capacidade de isolamento térmico, além de ser um material de baixa manutenção e custo. Destaque para o cantinho da leitura, com a poltrona azul da Carbono e luminária da Flos. Foto Ricardo Bassetti

Nesse pequeno studio de 35m², as arquitetas exploraram a linha horizontal demarcada pela janela e criaram um painel baixo onde todas as funções do apartamento acontecem ao longo dele - sofá, cama, mesa de estudos e banco. A paleta de materiais neutros – piso em granilite, madeira virolinha, e estofados cinza com diferentes texturas - resultou em uma atmosfera minimalista, silenciosa e acolhedora ao mesmo tempo. Foto Ricardo Bassetti

O hall de entrada social da casa ACK é marcado por um pórtico em ripas de madeira freijó. A porta pivotante se camufla quando fechada, e a iluminação foi embutida em algumas ripas do forro, que se torna imperceptível durante o dia. Ao entrar no ambiente interno, o pé direito duplo da circulação vertical mostra o jogo de volumes e rasgos criado pela arquitetura. O espelho e aparador são da Lider Interiores. Foto Ricardo Bassetti

A marcenaria desse quarto de menino em azul contrasta com a textura das paredes - mr. Brulee, cor natural. Para abrigar os equipamentos de tv e vídeo game, a dupla desenhou esse módulo baixo de marcenaria com as portinhas em chapa metálica perfurada para que eles ficassem escondidos, mas pudessem ser acessados. Foto Ricardo Bassetti

 

O mix de texturas e tons suaves do Apartamento JPS deu um ar sofisticado a esse pequeno studio de 45m². O anteparo em marcenaria com chapa perfurada camufla as portas de armário e banheiro e, ao mesmo tempo, secciona a cozinha do quarto. O piso em peroba de demolição em escama de peixe ajuda a ampliar o ambiente. A escolha de uma madeira acinzentada assim como a parede revestida com os ladrilhos hidráulicos da Brasil Imperial não agridem nem cansam o olhar. Foto Ricardo Bassetti

 

Apartamento, onde as arquitetas optaram por seccionar a área de convívio da área do quarto, para isso colocaram o estar na varanda. Replicaram o conceito usado no interior: uma paleta neutra onde as texturas chamam atenção ao olhar. Foto Ricardo Bassetti

Copyright © 2016 DA - Diário do Arquiteto. By RealWorks Propaganda - Curtir Compartilhar Siga-nos no Instagram

Scroll to Top