Mix de materiais e equilíbrio entre estilos destacam-se nas propostas do arquiteto Bruno Moraes
Mix de materiais e equilíbrio entre estilos destacam-se nas propostas do arquiteto Bruno Moraes

Formado pela Faculdade Belas Artes de São Paulo (FEBASP) e pós-graduado em Gerenciamento de Empreendimentos na Construção Civil pela FAU Mackenzie, Bruno Moraes passou por grandes escritórios, como o do arquiteto Siegbert Zanettini, onde participou do projeto de ampliação do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), da Petrobras, considerado o maior projeto sustentável da América Latina.
Em 2007, expôs o projeto “Complexo do Moinho” na Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, junto a um grupo de arquitetos formados pela FEBASP. Desde 2009, está à frente do escritório Bruno Moraes Arquitetura, atuando na área de gerenciamento de obras, execução de obras, projetos, consultoria sustentável e imobiliária.

 



Para equilibrar a paleta de cores e texturas do apartamento, o teto e o piso apresentam efeito de cimento queimado contrapondo-se à parede de tijolinhos e ao mobiliário de madeira clara.




Imponente, o painel vazado de madeira delimita o espaço do home office na área social integrada do apartamento, que une sala de TV, cozinha e varanda.




A parede que dividia a cozinha e a sala foi demolida com o objetivo de abrir espaço para a ilha gourmet. O ambiente recebeu a torre de cocção, o triturador, a máquina de lavar e outros pedidos dos moradores, que desejavam ter uma cozinha bem equipada.




Para o efeito tijolinho, o brick cerâmico aplicado na parede da entrada contribui para a sensação de acolhimento no apê. A escolha proporciona um contraponto com os tons claros da cozinha e forma o pano de fundo perfeito para a poltrona Eames com pufe, ambos de couro natural.




A conexão visual entre os ambientes integrados foi prioridade na escolha dos revestimentos e no projeto luminotécnico. No teto da varanda, sala e cozinha, foi aplicada uma textura com efeito de concreto aparente. Seguindo o princípio da unidade, o mesmo porcelanato reveste o piso de toda a área social.




A decoração da área externa privilegia o azulejo português e os elementos de madeira, fazendo referência às origens da família. O paisagismo apresenta espécies que também remetem à temática lusitana, com parreiras e árvores frutíferas.




Os ambientes do apartamento têm uma atmosfera bem eclética. Sob o mesmo teto, móveis clássicos e de design moderno, elementos com ar industrial e materiais rústicos convivem em perfeita harmonia.




A sobreposição de três tapetes traz modernidade para essa sala de estar. Para destoar do estilo predominantemente clássico do ambiente foram escolhidos objetos de decoração contemporâneos e há um quadro mais despojado apoiado sobre o piso.




Pensado como um spa particular do casal, o banheiro abriga o ofurô de madeira e a área do banho se torna uma sauna graças ao boxe que segue do piso ao teto.


No estar deste pequeno apartamento, a estante de vergalhão é uma das protagonistas. Ela integra visualmente a sala e o espaço da antiga varanda, que se uniu à ala social após o envidraçamento.


Fotos @luisgomesdesouza

Copyright © 2016 DA - Diário do Arquiteto. By RealWorks Propaganda - Curtir Compartilhar Siga-nos no Instagram

Scroll to Top